Prefeito Neider Moreira e Secretaria de Saúde de Itaúna se pronunciam sobre suposto desvio de vacina contra Covid-19

Escrito por em 01/10/2021

O prefeito de Itaúna, Neider Moreria de Faria (PSC) por meio de seu advogado, Jardel Carlos Araújo, respondeu à denúncia do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) de que teria supostamente desviado vacinas da Covid-19 na cidade em proveito próprio. A Secretaria de Saúde do município, por meio da assessoria de comunicação, também enviou Nota de Esclarecimento sobre a denúncia do MPMG.

De acordo com a investigação do MPMG “o prefeito recebeu duas doses da vacina, nos dia 4 e 26 de março, desrespeitando as normas estabelecidas pelo Ministério da Saúde de priorização de pessoas que deveriam ser vacinadas”

De acordo com o Processo de Investigação Criminal (PIC) do Ministério Público, “o prefeito, que é médico, alegou ter se vacinado como profissional de saúde, mas o PIC registra que ele não comprovou estar exercendo a profissão na ocasião nem que estava na linha de frente no combate ao coronavírus. Ele também não realizou o cadastro prévio exigido pela prefeitura”.

Você confere a denúncia do MPMG na íntegra CLICANDO AQUI.

A resposta do advogado que defende o prefeito Neider Moreira de Faria está reproduzida abaixo na íntegra. Entre outros argumentos, a defesa do prefeito alega que a vacinação dele como “médico e gestor público” aconteceu dentro dos procedimentos legais e também “como exemplo de uma pessoa que acredita na vacina como forma de combate a essa crise pandêmica, sem qualquer tipo de “burla ou favorecimento”, como faz crer o MPMG”.

Entretanto, em momento algum houve divulgação pela prefeitura ou pelo prefeito Neider Moreira, de que o mesmo teria sido vacinado. Essa informação não foi divulgada nem mesmo quando o prefeito contraiu a doença, no início de abril.

Confira a resposta na íntegra:

Dose extra

A prefeitura de Itaúna, por meio da assessoria de comunicação, também respondeu à denúncia do MPMG esclarecendo que a aplicação da dose no prefeito Neider Moreira, na data de 04 de março, aconteceu em virtude de uma “sobra de vacina” que acontece quando é feita a aspiração do frasco que pode conter doses extras. “Ocorre que em referida data houve excesso de volume nos frascos e conforme entendimento contido em Nota Técnica da Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis Coordenação-Geral do Programa Nacional de Imunização, em casos de sobras em frascos já abertos, a orientação é aplicar a dose no prazo máximo de até 6 horas, preferencialmente em pessoas cujo critério seja do grupo prioritário contemplado naquele momento”, informou a Secretaria de Saúde.

Confira abaixo, na íntegra, o comunicado da Prefeitura de Itaúna:

NOTA DE ESCLARECIMENTO – PREFEITURA DE ITAÚNA

A Prefeitura de Itaúna informa que vem seguindo todas as resoluções, portarias e decretos que tangem o processo de vacinação contra a Covid-19. Procedimentos estes inclusive já apresentados em reunião presencial entre Ministério Público, Secretaria Municipal de Saúde, Gerência Municipal de Tecnologia da Informação e Procuradoria-Geral do Município. O Sr. Neider Moreira de Faria recebeu no dia 04 de março do ano em curso a primeira dose da vacina Coronavac e a segunda dose no dia 26 de março. Conforme explicação solicitada, esclarecemos que a primeira dose (administrada no dia 04/03/2021) ocorreu em uma etapa onde estavam sendo administradas segundas doses da vacina Coronavac a profissionais de saúde. Ocorre que em referida data houve excesso de volume nos frascos e conforme entendimento contido em Nota Técnica da Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis Coordenação-Geral do Programa Nacional de Imunização, em casos de sobras em frascos já abertos, a orientação é aplicar a dose no prazo máximo de até 6 horas, preferencialmente em pessoas cujo critério seja do grupo prioritário contemplado naquele momento.

Foi o que ocorreu no dia 04 de março de 2021, houve volume extra de dose em uma fase onde os profissionais de saúde eram o grupo prioritário contemplado, visando não perder dose e tendo vista ser o Sr. Neider Moreira de Faria profissional de saúde com a inscrição na entidade de classe ativa, a dose do imunizante foi aplicada no mesmo.

Importante salientar que todo o evento acima narrado, ocorreu no início do mês de março de 2021, momento em que a vacinação ainda caminhava timidamente em nosso Estado e era inadmissível a perda de uma única dose. Ressaltamos que nenhum profissional de saúde foi prejudicado ou deixou de receber vacina para que o Sr. Neider Moreira fosse imunizado.

Repetimos que a dose destinada ao mesmo foi de volume extra do frasco em uma data onde estava ocorrendo a administração de segundas doses a profissionais de saúde. Informamos ainda que na data dos eventos narrados, o município ainda não adotava o agendamento via cadastro para recebimento de vacina, sendo que a organização das etapas de vacinação se davam por ordem de chegada, e como se tratava de uma etapa de aplicação de segundas doses, todas as pessoas presentes naquela data receberam a segunda dose que lhes era de direito e mesmo assim houve sobra de dose, devido ao volume extra no frasco.

Para melhor elucidação dos fatos ora relatados, o procedimento citado seguiu Notas Técnicas de n°108/2021 da Secretaria de Vigilância em Saúde, Nota Técnica de n° 7/2021 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Jornalismo Grupo Rádio Clube de Itaúna

Leia mais:

.


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]