Pelo direito de defender o tratamento precoce nas redes sociais da prefeitura, bolsonaristas fazem abaixo-assinado em Itaúna

Escrito por em 12/05/2021

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro em Itaúna e defensores do tratamento precoce querem liberdade para se expressar nas redes sociais oficiais da prefeitura municipal e organizaram um abaixo-assinado para o poder executivo da cidade. Eles estão insatisfeitos por verem removidos das redes sociais da prefeitura os seus comentários defendendo o “tratamento precoce” que prevê a prescrição de medicamentos que integram o chamado “kit covid” (cloroquina, azitromicina, ivermectina, zinco e vitamina D) para pacientes que apresentem sintomas gripais.

Mensagem que está sendo enviada nos grupos de WhatsApp da cidade pedindo adesão ao abaixo assinado:

Pessoas da direita de Itaúna têm sofrido retaliações com eliminação de comentários, críticas agressivas e desrespeitosas no Instagram da Prefeitura de Itaúna.
Hoje mesmo, comentários na postagem sobre tratamento precoce para COVID foram eliminados.
Pedimos que assinem a petição abaixo e divulguem em suas redes sociais.
Muito obrigada

O abaixo-assinado foi criado por um jovem de 18 anos, Victor Teles, que foi um apoiador do candidato a prefeito pelo partido Republicanos, Emanuel Ribeiro, outro defensor do presidente Bolsonaro em Itaúna. Até o início da tarde desta terça-feira, o abaixo-assinado contava com 117 assinaturas.

Confira o texto que consta na abertura do abaixo assinado no site que pode ser conferido clicando aqui:

As redes sociais da Prefeitura de Itaúna, gerenciadas pela assessoria de comunicação, vem demonstrando um comportamento incompatível com os princípios democráticos que regem as liberdades em um Estado de Direito. Os administradores da página apagam comentários discordantes (o que fere o princípio da liberdade de expressão), bem como não perdem a chance de imputar responsabilidades ao governo federal sobre problemas no combate à pandemia onde, na realidade, a própria prefeitura se demonstrou omissa. A assessoria de comunicação também ataca o tratamento precoce de forma sistemática, sendo que este tem se demonstrado um meio de combate ao vírus e que não exclui outras formas de prevenção. Se reprova este tipo de comportamento por parte da prefeitura, nos ajude com este abaixo assinado.

O jornalismo do Grupo Rádio Clube de Itaúna entrou em contato com o propositor do abaixo assinado, Victor Teles, que afirmou o seguinte: “da minha parte o mérito da eficácia do tratamento não é o foco do abaixo-assinado, mas sim a liberdade de expressão ao defendê-lo” ele também reforçou a questão da inconstitucionalidade da gestão das redes sociais da prefeitura de Itaúna. Confira o que disse o jovem:

Resposta da Assessoria de Comunicação:

O jornalismo do Grupo Rádio Clube de Itaúna também entrou em contato com a assessoria de comunicação da prefeitura de Itaúna que respondeu por meio do assessor Hermano Martins que responde pela gestão das redes sociais do poder executivo.

Confira na íntegra a resposta da prefeitura de Itaúna:

A Gerência de Comunicação faz um trabalho baseado em fatos, verdades e ciência. Pregamos pelo livre exercício do jornalismo bem como a atividade publicitária que atenda de maneira mais assertiva junto à comunidade. Quando falamos contra o tratamento precoce / imediato, falamos sobre um tema já pacificado no mundo, inclusive pelos próprios fabricantes dos remédios comprovadamente ineficazes contra a Covid-19. Em nossas publicações também informamos que o governo na faz imposição na atividade médica, deixando a cargo de cada profissional escolher o melhor tratamento ao seu paciente. Por fim repudiamos essa clara tentativa de intimidação, com toques de censura direcionada à Gerência da Comunicação, o que lamentavelmente é um óbvio reflexo do que profissionais da área têm sofrido em todo o país.

Polêmica

A indicação dos medicamentos do chamado Kit Covid é motivo de discórdia entre a classe médica. Oficialmente a OMS (Organização Mundial da Saúde) não reconhece esses medicamentos como sendo eficazes no combate à doença. Uma parte de médicos, entretanto, defende a utilização do tratamento precoce (agora chamado de tratamento imediato). O incentivo ao uso da cloroquina e hidroxicloroquina, por integrantes do governo Federal, por exemplo, está sendo investigado pelo Senado na CPI da Pandemia.

Confira áudio da audiência de quinta-feira, 06/05, no Senado Federal, na qual o atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o relator da CPI, Renan Calheiros, se desentendem sobre a indicação do uso da cloroquina em matéria do repórter Hiury Wdson, da agência Rádio Web:

Tratamento imediato é oferecido em clinica

O tratamento precoce tem sido oferecido em Itaúna com o nome de Tratamento Imediato para pacientes com sintomas gripais que podem ser confirmados, ou não, como Covid-19. A iniciativa tem o nome de PAI – Posto de Atendimento Imediato – e conta com o apoio do SINDIMEI (Sindicato Intermunicipal das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e Material Eletrico de Itaúna). O atendimento à população começou na segunda-feira passada, 03/05, e é feito gratuitamente no horário de 8h às 17h com agendamento de consultas feitos por meio de dois telefones – (37) 9 9870-7788 ou (37) 9 9828-7788. Já as consultas serão realizadas em três turnos – 8h às 11h, de 13h às 16h e de 17h às 20h.

Felipe Neto

Apesar de garantir a liberdade médica para prescrição de medicamento e afirmar que não interfere nessa questão, a prefeitura de Itaúna tem uma postura oficial contrária ao tratamento precoce e tem realizado várias campanhas sobre o tema em suas redes sociais. Uma destas postagens da prefeitura de Itaúna contra o tratamento precoce chegou a ser compartilhada por Felipe Neto, um dos mais populares youtubers do Brasil, nos stories de sua página no Instagram, na terça-feira, 23/03. Felipe Neto tem 42 milhões de inscritos em seu canal no youtube e quase 14 milhões de seguidores em sua página no Instagram.

Outra polêmica envolvendo liberdade de expressão

As pessoas que integram os grupos de direita e de conservadores em Itaúna já se envolveram em outra polêmica, no início deste ano, envolvendo liberdade de expressão. Eles não aceitaram a palestra da professora Márcia Ambrósio que falaria para os professores da rede municipal de ensino na abertura do ano letivo. O que enfureceu esse grupo de pessoas foi o posicionamento político da palestrante que é opositora do atual presidente brasileiro Jair Bolsonaro. Em sua rede social ela compartilhou alguns posts contrários ao presidente. Além disso, Márcia foi autora de um jogo que trata sobre a ideologia de gênero. A partir do momento que identificaram estas questões os conservadores promoveram uma onda de protestos contra a palestrante nas redes sociais da prefeitura de Itaúna, nos grupos de Whatspp da cidade, nas redes sociais da professora e também nas redes do Secretário Municipal de Educação de Itaúna, Wesley Nogueira.

Um dos integrantes do movimento dos conservadores de Itaúna, Emanuel Ribeiro, que foi candidato a prefeito nas últimas eleições e obteve pouco mais de 3 mil votos, afirmou que os conservadores estavam apenas expondo sua opinião. Ele afirmou ao nosso jornalismo na época, por escrito, o seguinte:

Inicialmente, creio que a prefeitura tem todo o direito de convidar quem quiser para fazer o que acharem interessante. Mas a população também tem que ter todo o direito de questionar se não achar conveniente, sobretudo quando o assunto, qualquer que seja, tenha a ver com filhos, com crianças e com sua educação. Quando se opta por uma escolha que não agrada a população e a população reclama, não é “discurso de ódio” da população, conforme a prefeitura mencionou (tive vários relatos). É apenas liberdade de expressão e livre manifestação de pensamento. Para o caso em específico, eu, Emanuel Ribeiro, como conservador, cristão e defensor do atual presidente, também tenho o direito de me manifestar: apesar de não conhecer a tal “educadora”, verifiquei que ela sim traz em suas redes sociais discurso de ódio, intolerância e o pior: defende abertamente a prática do sexismo fundado na tal ideologia de gênero no ensino. Foi uma péssima escolha. Péssima. Péssima. Não me estranha alguns pais protestarem com mais veemência, pois brincar com nossos filhos com esse mal gosto é lamentável.

A palestra foi cancelada de acordo com entrevista concedida pelo prefeito Neider Moreira ao jornalismo do Grupo Rádio Clube de Itaúna, na época, pois a professora Márcia Ambrósio teria se sentido assustada com reação das pessoas:

estamos atendendo a um pedido da professora que ficou extremamente assustada com as manifestações que chegaram às redes sociais e pediu para desmarcar a palestra dela em função das ameaças que estava sofrendo nas redes sociais. Da mesma forma, ameaças chegando às redes sociais do nosso secretário de Educação a quem recomendei que fizesse Boletim de Ocorrência.

Nenhum Boletim de Ocorrência foi registrado, entretanto, para apuração da denúncia de ameaça, nem pelo secretário municipal de Educação nem pela professora.

Jornalismo Grupo Rádio Clube de Itaúna

Leia mais:


Opiniões dos leitores
  1. Fabiano Parreiras   Em   12/05/2021 at 20:38

    A gerência de comunicação da prefeitura alega se posicionar contra o tratamento precoce / imediato, por se tratar de um tema já pacificado no mundo. Está longe de ser um tema já pacificado. E tão grave quanto isso, é excluir ou bloquear comentários da população, fazendo censura. Inadmissível!

  2. Eliane Soares Mendes Franco   Em   12/05/2021 at 20:46

    Parabéns pela abordagem Helen!
    Eu realmente penso que a questão nem passa pelo Tratamento Precoce ou imediato da COVID, que já é ponto passificado pelo Conselho Federal de Medicina, que em março 2020, já se posicionou em decreto sobre a liberdade de escolha dos médicos para essa abordagem.
    O preocupante é a “militância” desrespeitosa por parte do gestor de uma rede social pública. Além de inconstitucional, como bem pontua Victor Teles, essa conduta é totalmente contra os princípios de gestão da “coisa pública”. É preciso ter o mínimo de noção de que alguém que está à frente de algo que é financiado pelo povo e feito para o povo, não tem que passar sua visão de mundo pessoal, ainda mais eliminando opiniões e criticando as formas de pensar divergentes.
    Obrigada por permitir esse debate, Helen.

  3. ROSEMI APARECIDA SILVA PEREIRA   Em   12/05/2021 at 22:20

    Acredito que independente de ser direita, esquerda, centro direita,centro esquerda etc, etc, a acessória da prefeitura jamais poderia excluir comentários ou pior bloquear seguidores, é esse s abusos a liberdade de expressão dos seguidores não foram por palavras de baixos níveis ou porque derespeito aos editores da mídia ou com os governantes do município.
    Os comentários foram excluídos com ameaças de bloqueio , pelo simples fato de não concordar totalmente com a matéria, pelo simples fato de dizer que acredita em algo mais..
    Onde fica a liberdade de expressão, onde fica o direito dos eleitores? O mínimo e o mais descente que essa acessória teria que fazer diante desse fato mesquinho era se retratar com seus seguidores, respeitando as opiniões contrárias às suas pessoas …nas mídias sociais desse editor da prefeitura, ele expõe suas ideias da maneira que achar melhor, mas em redes públicas ele se abstém de suas ideias e achismo é o mínimo de respeito que os seguidores merecem da parte desses profissionais.

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]