Parte do 6º lote de vacinas contra coronavírus é distribuída pelo governo de Minas entre as regiões mais afetadas pela pandemia

Escrito por em 06/03/2021

Por Portal G1

Parte da última remessa de vacinas contra o coronavírus que chegou a Minas Gerais nesta semana foi distribuída entre 20 regionais de saúde do estado nesta sexta-feira (5), segundo o governo. Outra parte deve ser encaminhada às outras cinco regionais a partir de segunda-feira (8).

Este é o sexto lote de imunizantes que chegou ao estado. Até agora, o governo distribuiu 1.298.452 doses.

Nesta sexta, a entrega por via aérea começou por Uberlândia, cidade que está na chamada “onda roxa” do programa Minas Consciente. Criada nesta semana, a nova onda prevê medidas mais restritivas para conter a disseminação do coronavírus, como limitação de circulação nas ruas em qualquer horário e barreira sanitária.

Além de Uberlândia, os outros cerca de 60 municípios das Regiões Noroeste e Triângulo do Norte, que estão em fase mais crítica da pandemia, também tiveram prioridade. Estas cidades vão receber um adicional de 0,8% do lote de imunizantes, cerca de 2.281 doses.

O avião que levou as vacinas até o Triângulo Mineiro partiu do Aeroporto da Pampulha às 9h30. Também receberam as doses, por via aérea, as cidades de Alfenas, Diamantina, Juiz de Fora, Manhuaçu, Montes Claros e Unaí. Já Divinópolis e Sete Lagoas retiraram da Central Estadual da Rede de Frio de BH. As demais regiões receberam por meio terrestre.

Até agora, Minas Gerais já vacinou 605.225 mineiros com a primeira dose e 290.176 com a segunda.

Com a nova remessa, o estado espera imunizar:

  • 100% dos idosos residentes em instituições de longa permanência (institucionalizadas);
  • 100% das pessoas maiores de 18 anos com deficiência residentes em residências inclusivas (institucionalizadas);
  • 100% da população indígena aldeada em terras homologadas (maiores de 18 anos);
  • 100% das pessoas com 85 anos de idade ou mais;
  • 70% das pessoas de 80 a 84 anos de idade, com prioridade para as acamadas, as que vivem com pessoas de 85 anos ou mais e as previamente cadastradas.
  • 82% dos trabalhadores de saúde.

Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]