‘Não haverá fechamento da cidade’, diz Kalil sobre coletiva nesta quarta

Escrito por em 26/01/2022

Por Estado de Minas

“Não haverá fechamento da cidade amanhã, mas a pandemia ainda não acabou.” Foi o que disse o prefeito Alexandre Kalil, pelas redes sociais, na tarde desta terça-feira (25/1).

O comentário do prefeito foi feito após o anuncio da coletiva de imprensa com o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto, e os infectologistas membros do Comitê de Enfrentamento à COVID de Belo Horizonte sobre o cenário da pandemia na capital. O encontro está agendado para às 15h desta quarta.

Na última sexta (21/1),  Jackson Machado informou que a prefeitura iria  monitorar os índices de contaminação da COVID-19 para tomar qualquer decisão sobre a volta às aulas, os jogos de futebol com público e os eventos de carnaval.

“Não queremos fechar nada. É a ultima coisa que temos. Mas se continuar assim, o comitê vai ter que sugerir medidas de restrição”, disse. “Se até quarta-feira continuar como está, pode ser que medidas restritivas sejam adotadas. Não está descartado cancelar jogos e eventos do carnaval”, acrescentou.

O Executivo da capital tem se esforçado para conter o avanço da pandemia com a aplicação de mais imunizantes na população e com a abertura de novos leitos para o tratamento exclusivo de pacientes infectados pelo coronavírus. Mas as ações, até o momento, não surtiram grandes efeitos nos balanços diários.

Ontem, mais 40 leitos de Enfermaria Covid na Rede SUS-BH. Desde o início do mês de janeiro foram abertos pelo Município 358 leitos de Enfermaria, saindo de 220 para 578, na data de ontem.

 

Índices no vermelho 

As internações por COVID-19 nos leitos de UTI e enfermarias de BH não param de aumentar. A cada dia, a situação se agrava mais. Nessa segunda-feira (24/1), a taxa de ocupação de leitos de UTI atingiu a marca de 91,3%.
No último balanço, ela estava em 84,6%. Também segue no nível vermelho a taxa de ocupação nas enfermarias, 89,7% de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Prefeitura de Belo Horizonte. Na última sexta-feira (21/1) estava em 83,7%.

A doença segue avançando rapidamente pela capital. O RT, nível médio de transmissão da doença, está em 1,18. Isso significa que cada 100 pessoas transmitem e doença para outras 118. De acordo com infectologistas, o ideal é que o RT fique abaixo de 1. (Com informações de Patrick Vaz)


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]