Ministério da Economia libera recursos para compra de 100 milhões de doses de vacina contra Covid

Escrito por em 26/11/2021

O Governo Federal vai liberar R$ 1.4 bilhão para a compra de 100 milhões de doses de vacina contra a Covid-19. O anúncio foi feito pelo Ministério da Economia. Este recurso foi liberado por meio de crédito suplementar, ou seja, um crédito adicional, um reforço existente no orçamento do governo.

O médico infectologista Renato Kfouri argumenta que a iniciativa é acertada. Para ele, é preciso antecipar a compra das vacinas contra a Covid para que não tenhamos problemas no ano que vem:

Ainda há um terreno de alguma incerteza em relação a quantas doses ainda precisaremos, quantas revacinações serão necessárias, para que populações precisaremos oferecer uma terceira dose, eventualmente uma quarta dose. Então, estes diferentes cenários de incertezas farão com que o Ministério da Saúde tenha uma atitude mais conservadora e, com isso, recrutando mais orçamento, verba para que uma compra maior de vacina seja feita e que não tenhamos que vivenciar o problema do ano passado e deste ano de 2021.

O médico infectologista Julival Ribeiro afirma que o caminho é a aplicação das vacinas para evitar complicações, sobretudo no período em que acaba a eficácia da vacina depois de alguns meses que a pessoa tomou uma dose:

Sabemos que a vacina é a melhor estratégia para que a gente combata a Covid-19, apesar da vacina não ser 100% eficaz. Apesar disso, as vacinas reduzem o número de casos graves, de hospitalizações e mortes. Após o primeiro esquema da vacina completo, em torno de 5 a 6 meses, vai caindo a proteção em relação ao Coronavírus, e com este estímulo a mais, nós esperamos que mais pessoas estejam protegidas.

De acordo com o médico infectologista Francisco Job, enquanto o Brasil não tem a autonomia para produzir a quantidade necessária de vacina para atender a demanda interna, o caminho é comprar de outros países:

Realmente vamos ter que importar doses de vacinas até que tenhamos a capacidade de produzir, nós mesmos, a quantidade necessária para a revacinação periódica da vacinação contra Coronavírus. O Coronavírus não produz imunidade permanente e nenhuma vacina produzirá imunidade permanente. Será necessária a vacinação periódica da população. É uma boa notícia que isto esteja sendo previsto.

Hoje, no Brasil, 158.200 milhões de pessoas foram vacinas com uma dose. 130.400 milhões de brasileiros estão totalmente imunizados. Ao todo, foram aplicadas 288 milhões e seiscentas mil doses da vacina contra a Covid-19.

 

Por Luis Ricardo Machado

Rede de Notícias Regional /Brasília

 


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]