Minas recebe autorização para comprar 428 mil doses da vacina Sputnik V

Escrito por em 03/07/2021

Por Jornal O Tempo

O governo de Minas Gerais recebeu autorização para compra da vacina contra Covid-19 Sputnik V, da estatal russa Gamaleya, nesta segunda-feira (2). O processo foi analisado pela Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e comunicado ao Estado. O Executivo informa que “inicialmente” comprará 428 mil doses do imunizante, que pode imunizar cerca de 214 mil mineiros com duas aplicações.

Em nota, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), comemorou a aprovação. “A Anvisa autorizou a nossa solicitação de importação de 428 mil doses da vacina Sputnik. Mas, agora, o fundo soberano russo vai junto com a Seplag dar a data da entrega, que eu espero que seja o mais breve possível”, disse. Há algumas semanas, o chefe do Executivo havia se reunido com a embaixada Russa, a pedido dos estrangeiros.

“Com a liberação, o Governo de Minas prosseguirá com os encaminhamentos para finalizar as negociações do contrato junto ao Fundo Soberano Russo. O quantitativo de doses pleiteado corresponde a imunização de 1% da população mineira, limite máximo estabelecido pela Anvisa”, informou o governo no texto encaminhado à imprensa.
A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que, até esta sexta-feira, Minas recebeu do Ministério da Saúde 13.441.624 doses de vacinas das marcas Coronavac, Astrazeneca, Pfizer e Janssen. Foram aplicadas 7.282.867.

“Mais de 7,2 milhões de mineiros receberam a primeira dose, cerca de 2,7 milhões já completaram o esquema vacinal de duas doses e aproximadamente 24 mil pessoas receberam a dose única, conforme os dados publicados no Vacinômetro, painel disponibilizado por meio da SES”, conclui o comunicado.

Ressalvas da Anvisa

Em deliberação no último 4 de junho, a Anvisa determinou condições para a importação do imunizante. São vários pontos, que visam, de acordo com a agência reguladora, garantir a segurança sanitária do uso emergencial das vacinas no Brasil.

São XXII itens (leia todos no fim do texto), mas os principais pontos são que as importações só podem ocorrer de vacinas produzidas nas fábricas inspecionadas pela Anvisa na Rússia – Generium e Pharmstandard UfaVita – obrigação de análise lote a lote que comprove ausência de vírus replicantes nas doses e qualidade geral da entrega e notificação obrigatória de eventos adversos graves” em até 24 horas.


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]