Livro brasileiro de ficção científica mostra a salvação do mundo como uma fake news

Escrito por em 29/09/2020

A foto se trata da capa do livro com o autor Daniel Mendes. Crédito: divulgação.

A ficção científica é um gênero literário pouco explorado no Brasil, mas esse é o caminho que o autor baiano Daniel Mendes utiliza em seu primeiro livro “O Guindaste Metafórico, a maior obra de engenharia que jamais existiu”.

A obra mescla bom humor, autoajuda e ficção, desenvolvendo um projeto de engenharia altamente complexo e cheio de superlativos, para salvar o planeta Terra de seu desalinhamento magnético.

Usando temáticas contemporâneas, como “campanha de financiamento”, “gestão de fake news”, “redes sociais” e “superfaturamento”, o Guindaste Metafórico satiriza o antropocentrismo e a supervalorização da tecnologia que caracterizam nosso tempo.

“É um livro de ficção científica brasileiro, construído sobre si mesmo, que narra o lançamento do próprio “Guindaste Metafórico”, metalinguística e metaforicamente. O Guindaste Metafórico, porém, é a maior obra de engenharia que jamais existiu, uma ficção mentirosa que se torna real no exato momento em que é contada. O livro é uma crítica à tradição filosófica que hoje chamamos de autoajuda, segundo a qual o valor do produto está na embalagem”, explica Daniel Mendes.

Na capa, o comandante do fraudulento projeto, sempre de copo na mão e com cara de bonachão, caracteriza o estelionatário engenheiro que engana todo o mundo com um projeto impossível.

Texto de Vera Moreira


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]