Hidroxicloroquina está em falta na rede estadual para tratamentos reumáticos

Escrito por em 06/05/2021

Por Jornal O Tempo

Usada para amenizar os efeitos de doenças reumáticas, como o lúpus, a hidroxicloroquina está em falta nas unidades da rede estadual de saúde em Minas Gerais pelo menos desde o início do ano. O medicamento, que chegou a ser recomendado em uma página do Ministério da Saúde para tratar a Covid-19, também ajuda a controlar a artrite reumática. Só na capital mineira, cerca de 1.100 estão cadastradas para receber o insumo de forma gratuita.

Para o reumatologista e presidente da Comissão Científica de Lúpus da Sociedade Brasileira de Reumatologia, Edgard Reis, a interrupção do tratamento diante dos estoques insuficientes do remédio é preocupante. “No lúpus, a hidroxicloroquina traz muitos benefícios, como diminuir a chance da doença entrar em atividade, fenômenos de trombose, além de melhorar a glicemia e o colesterol. E também tem um efeito de sobrevida do paciente”, explicou a reumatologista.

E a situação pode ainda provocar sequelas graves, dependendo do tempo em que a medicação deixou de ser aplicada – o lúpus é uma doença inflamatória  causada quando o sistema imunológico ataca seus próprios tecidos. “É uma medicação usada há mais de 50 anos. Vemos um desvio de função da medicação e aqueles pacientes que realmente vão ter um benefício acabam ficando sem isso”, disse referindo-se à utilização da hidroxicloroquina no tratamento precoce contra a Covid-19.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) declarou que o fornecedor fez a entrega da hidroxicloroquina nesta semana e a expectativa é que o insumo seja enviado para as unidades regionais de saúde até o dia 25 de maio. Segundo a pasta, além da lúpus e artrite reumatoide, o medicamento é utilizado para dermatomiosite e polimiosite, doenças inflamatórias que afetam o músculo.

Já sobre a cloroquina, a secretaria afirmou que não há falta do item, que é fornecido para tratamento de malária e também artrite reumatoide – derivados da mesma classe de fármacos, apesar de diferentes, a hidroxicloroquina é menos tóxica.


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]