Escola Estadual João Dornas será fechada se municipalização for aprovada em Itaúna. Comunidade reclama que não é ouvida

Escrito por em 13/07/2021

A municipalização das escolas estaduais em Itaúna, seguindo o projeto do governo de Minas chamado de “Mãos Dadas” está gerando polêmica e revolta entre professores e alunos. Principalmente entre os pais, alunos, professores e funcionários da Escola Estadual João Dornas que, de acordo com o que foi apresentado pelo secretário de Educação de Itaúna, Wesley Nogueira, será fechada e os alunos transferidos para outras escolas. Wesley Nogueira defendeu, durante sua fala na Audiência Pública Virtual da Câmara de Vereadores que aconteceu de forma antecipada no dia 08/07, que a municipalização será benéfica para Itaúna uma vez que com os R$3,2 milhões que serão transferidos para o município pelo governo estadual será construída uma escola no bairro Jadir Marinho além de construção de mais duas salas na escola Padre Waldemar, no bairro Parque Jardim. Ainda de acordo com o secretário de educação de Itaúna durante a audiência pública virtual, os alunos da Escola Municipal Celuta das Neves deixarão o prédio onde dividem espaço com os alunos da Escola Estadual Gilka Drumond e serão transferidos para o prédio onde atualmente funciona a Escola Estadual João Dornas.

Escola Estadual João Dornas será fechada e alunos transferidos. No local funcionará a Escola Municipal Celuta das Neves.

Contrários

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação – Sind-Ute – de Itaúna se manifesta de forma contrária à municipalização. De acordo com a presidente do sindicato na cidade, professora Maria das Graças, a municipalização não oferece garantias nem aos professores, nem aos alunos e muito menos aos municípios em relação ao repasse de recursos para as prefeituras cobrirem os custos com a absorção dos alunos da rede estadual:

Ouça o que disse Maria das Graças:

Nas redes sociais professores, alunos e pais de alunos se mobilizam contra a municipalização. Um pai de aluno e ex aluno da escola João Dornas publicou uma carta aberta aos vereadores pedindo o voto contrário ao projeto. Na carta, assinada por Paulo Sérgio da Silva, “filho de um ex aluno, ex aluno e pai de um atual aluno”, há a publicação de um poema escrito pelo itaunense João Dornas Filho, em 1922. Já na abertura da carta, Paulo Sérgio é taxativo:

“Expresso por essa, meu total descontentamento relacionado ao projeto de municipalização das Escolas dos anos fundamentais de Itaúna. Este que, nas “entrelinhas de seu conteúdo”, exterioriza aquilo que realmente importa para aqueles que o pleiteiam, o fim da Escola Estadual João Dornas Filho.”

Você confere a íntegra da carta clicando no link a seguir: Carta aos vereadores

Vídeos também estão sendo postados pelas professoras, alunos e pais de alunos enchendo as redes de manifestações contrárias à municipalização e ao fechamento da Escola Estadual João Dornas.

Confira um dos vídeos que circulam nas redes:

 

Audiência antecipada

A vereadora Edênia Alcântara (PDT) integrante da Comissão de Educação da Câmara de vereadores de Itaúna afirma que a postura da comissão, integrada também pelo vereador Gleissinho e pela vereadora Márcia Cristina, é de independência. A comissão marcou duas audiências públicas, uma para o dia 13/07 e a outra para o dia 20/07, na qual haveria uma ampla participação popular. A Câmara, entretanto, atendendo uma solicitação da prefeitura antecipou as duas audiências para uma que foi marcada de última hora e aconteceu na semana passada, na quinta-feira, 08/07.

A vereadora, durante aquela audiência afirmou que os integrantes da Comissão de Educação não foram comunicados previamente da antecipação da audiência e somente ficaram sabendo na última hora.

Ela conseguiu articular com a comunidade escolar uma outra audiência pública, para a noite desta terça-feira, 16/07, às 19h, que será transmitida virtualmente para a população por meio do canal da Câmara de Itaúna no youtube.

Confira o que disse a vereadora:

A justificativa apresentada pela Câmara para a mudança de última hora na data da audiência pública foi a de que a prefeitura de Itaúna recebeu um ofício assinado pela Superintendente Regional de Ensino de Divinópolis, Luiza Coimbra, no qual a representante do governo estadual adverte o município pela iminência de perda do prazo para adesão ao projeto. No ofício a superintendente alerta: “solicitamos a atenção especial de V.Exa para realizar, até o dia 14/07/2021, todas as articulações para aprovação da adesão ao Projeto, junto à Câmara de Vereadores, a fim de viabilizar as providências para assinatura dos convênios e os respectivos repasses financeiros”.

O projeto de lei de adesão do município de Itaúna deverá ser votado em reunião extraordinária até esta quarta-feira, 14/07, conforme anunciou o presidente da Câmara de Itaúna, Alexandre Campos durante a audiência pública do dia 08/07.

Jornalismo Grupo Rádio Clube de Itaúna

 


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]