CPI da Educação, em Divinópolis, apura suspeita de superfaturamento em compras de R$30 milhões

Escrito por em 13/05/2022

A gestão do prefeito de Divinópolis, Gleidson Azevedo (PSC), enfrenta denúncias de superfaturamento na compra de produtos pela Secretaria Municipal de Educação para as escolas municipais. Uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) foi aberta na Câmara de Vereadores para apuração de suposto superfaturamento na adesão de atas de sete cidades ocorrida em Dezembro de 2021.

O vereador Ademir Silva (MDB), integrante da CPI, conta que o que chamou a atenção dos vereadores foi o gasto de cerca de R$30 milhões pela Secretaria de Educação no final do ano quando valores de cerca de R$5 milhões a R$6 milhões foram registrados mensalmente durante o ano. Ele falou com a jornalista Hélem Lara, do Grupo Rádio Clube, a respeito da investigação, confira:

Play Ball de quase R$10 mil

Um dos itens que chamaram a atenção dos vereadores que compõem a CPI foi o brinquedo Play Ball Quádruplo, de plástico, que apresentou um custo unitário de R$9.999,00. Os vereadores fizeram o comparativo com o custo de aquisição de um playground completo e conseguiram orçamentos em torno de R$40 mil. Algumas escolas, apuraram os vereadores, receberam quatro brinquedos playball. “O custo de aquisição de quatro desses brinquedos para apenas uma escola seria suficiente para aquisição de um playground completo”, afirmou o vereador Ademir Silva (MDB). Pelo menos três escolas receberam quatro destes brinquedos: Escola Municipal Evelina Greco, Escola Municipal Padre Guaripá e Escola Municipal Maria Fonseca Peçanha. No total, foram adquiridos pelas prefeitura de Divinópolis 129 unidades do brinquedo, a um custo total de R$1.288.710,00.

Play Balls adquiridos pela prefeitura de Divinópolis. Imagem: reprodução redes sociais.

Kit de matemática a quase R$50 mil

Enquanto os vereadores visitavam as escolas para verificar a entrega dos play balls, se depararam também com o kit “laboratório de matemática” composto por um conjunto de materiais feitos de papel, EVA e madeira com o valor unitário de R$49.096,70. Foram adquiridos 30 kits a um custo total para os cofres públicos de R$1.472.901,00.

Abaixo você confere um vídeo divulgado pelo presidente da Câmara de Divinópolis, vereador Eduardo Print Júnior (PSDB), mostrando os kits de matemática adquiridos pelo município.

A vereadora Lorrana França (PV), relatora da CPI da Educação de Divinópolis, comentou com o Grupo Rádio Clube de Itaúna que as suspeitas de superfaturamento pairam sobre vários outros objetos além dos que viralizaram nas redes sociais, confira:

Composição da CPI da Educação de Divinópolis:

  • Presidente: Vereador Josafá Anderson (Cidadania)
  • Relatora: Vereadora Lohanna França (PV)
  • Membros: Vereadores Ademir Silva (MDB), Ana Paula (SC) e Rodrigo Caboja (PSD)

A vereadora Lohanna França, que além de relatora da CPI é presidente da Comissão de Educação da Câmara, nos encaminhou vídeo no qual explica que o prejuízo para os cofres públicos, se confirmado o suposto superfaturamento, pode ser da ordem de R$10 milhões e pede o afastamento de outros secretários além da Secretária de Educação (confira mais informações abaixo). confira o vídeo da vereadora Lohanna França:

Resposta da prefeitura de Divinópolis

O Grupo Rádio Clube de Itaúna entrou em contato com a prefeitura de Divinópolis para saber o posicionamento da administração em relação às denúncias de suposto superfaturamento mas não obteve retorno até o momento. Nas redes sociais o prefeito Gleidson Azevedo publicou, há uma semana, um vídeo classificando a CPI de “politiqueira” e afirmando que toda a documentação das compras será entregue diretamente para o Ministério Público e afirmando que o sigilo bancário e de celular dele e de todos os secretários municipais está aberto.

O prefeito de Divinópolis, Gleidson Azevedo, publicou decreto afastando temporariamente a secretária de Educação do cargo
(foto: Divulgação/Reprodução Instagram Gleidson Azevedo)

Nesta quarta-feira, 11/5, a secretária municipal de Educação de Divinópolis, Andreia Dimas, foi afastada do cargo temporariamente em decorrência da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Na tarde desta quinta-feira, entretanto, o próprio prefeito Gleidson Azevedo, acompanhado do irmão, o deputado Cleiton Azevedo (CIDADANIA), reconheceu que um dos brinquedos adquiridos (PlayBall) não vale os quase R$10 mil pagos pela administração e que vai fazer a devolução dos mesmos. Confira os vídeos do prefeito nas redes sociais

Vídeo classificando a CPI de “politiqueira”: 

Vídeo reconhecendo que o brinquedo Play Ball não vale o valor que foi pago:

Jornalismo Grupo Rádio Clube de Itaúna

 


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]