Conforme antecipado pelo Grupo Rádio Clube, SAAE divulga nova forma de cobrança nas contas de água em Itaúna

Escrito por em 13/09/2021

Conforme antecipado pelo jornalismo do Grupo Rádio Clube de Itaúna em matéria divulgada na quinta-feira da semana passada, dia 09/09, uma nova forma de cobrança do consumo de água na cidade entra em vigor a partir das próximas contas.

Conforme mostramos na matéria, os consumidores de Itaúna começam a receber nas contas do SAAE uma mensagem que pode indicar um possível aumento na cobrança de água, ou uma nova tarifa. A mensagem diz o seguinte:

A PARTIR DA CONTA 10/2021, SERÁ IMPLEMENTADO NOVO MODELO DE COBRANÇA POR MEIO DE TARIFA FIXA E TARIFA DE EFETIVO CONSUMO, CONFORME RES,ARISB MG 161/2021

Aviso de nova cobrança aparece nas contas do SAAE de Itaúna, mas sem mais explicações ou divulgação a respeito.

Somente na manhã desta segunda-feira, 13/09, a autarquia informou como será a nova forma de cobrança.

De acordo com o SAAE Será extinta a cobrança por consumo mínimo e tarifa fixa também terá outro valor.

Confira a nota divulgada pela autarquia:

A fim de atualizar o modelo de tarifa de água e esgoto, a equipe técnica da Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento Básico de Minas Gerais, ARISB-MG, com a colaboração do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Itaúna, estruturou a nova matriz tarifária.

Assim, será extinta a cobrança da tarifa por meio do consumo mínimo, passando a considerar o consumo efetivo.

A nova forma vai possibilitar o estímulo do uso consciente da água, a adequação dos valores à realidade de consumo de cada família e a manutenção do preço médio da água.

A iniciativa representa um importante avanço para o saneamento básico da cidade.

Cabe ressaltar, que foi realizada pela ARISB-MG uma Consulta Pública e posteriormente, o estudo foi apresentado ao Conselho Municipal de Saneamento Básico de Itaúna.

Parcelas Fixa e Variável

Atualmente, a cobrança é realizada por meio de um conceito de tarifa mínima, na qual o usuário paga um valor fixo e pode consumir até 15 metros cúbicos de água, pagando o excedente de acordo com o consumo.

A metodologia atual não incentiva o uso eficiente dos recursos hídricos.

O novo modelo prevê uma parcela fixa, com o custo mínimo para manter a disponibilidade do sistema, e uma parcela variável, com base no volume consumido, medido no hidrômetro.

Valor adequado ao volume de consumo

Para os usuários residenciais, a tarifa mínima de água e esgoto no modelo atual é de R$ 43,73. 

Por meio da nova matriz, a tarifa fixa passa a ser de R$27,45, com doze faixas para o excedente de forma variável, tornando o valor mais adequado ao volume de consumo.

Uma moradia que consome 6 metros cúbicos de água, por exemplo, que hoje paga a tarifa mínima de R$ 43,73, terá uma diminuição no custo da tarifa com o novo modelo, passando a pagar R$ 39,23. Neste caso, a redução representa 10,31% do valor total.

O cronograma de implantação terá início no mês de outubro, ou seja, nas próximas faturas.

Jornalismo Grupo Rádio Clube de Itaúna

Leia mais:


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]