Centro Oncológico em Itaúna completa um ano de inauguração, mas funcionamento somente começou no final de setembro

Escrito por em 08/02/2021

 Centro Oncológico de Itaúna completa um ano de atividades no domingo, 07/02, levando dignidade, acolhida e esperança à pacientes de Itaúna e região. Funcionando efetivamente desde o final do segundo semestre de 2020 (devido à pandemia da Covid-19) nas dependências da Casa de Caridade Manoel Gonçalves de Souza Moreira, o local oferece procedimentos de mastologia, ginecologia, urologia, coloproctologia, cirurgia geral, câncer de pele e plástica, além de quimioterapia. Até o momento, o Centro foi responsável pelo atendimento de 122 pacientes. Por não possuir aceleradores lineares, indispensáveis nas sessões de radioterapia, portadores com esta prescrição continuam sendo encaminhados para Divinópolis.

O Centro Oncológico de Itaúna é responsável por demandas de alta complexidade de pacientes da microrregião de Itaúna (Itaúna, Itatiaiuçu, Itaguara e Piracema) e da microrregião de Pará de Minas (Pará de Minas, Nova Serrana, Igaratinga, Onça do Pitangui, Leandro Ferreira, São José da Varginha, Pitangui e Conceição do Pará). Somadas as duas microrregiões (Itaúna e Pará de Minas), os benefícios alcançarão cerca de 300.000 pessoas.

Para ser atendido no local, os encaminhamentos são realizados a partir de médicos da atenção primária ou secundária de saúde. Na sequência, os diagnósticos são direcionados ao Setor de Regulação da Secretaria Municipal de Saúde, responsável por agendar os procedimentos junto ao Centro Oncológico e posterior retorno ao paciente. Além das consultas, exames e procedimentos, o local disponibiliza de forma gratuita medicamentos relacionados ao tratamento de quimioterapia. A equipe multidisciplinar da unidade é composta por médicos oncologistas, cirurgiões, mastologistas, além de profissionais de enfermagem, farmácia, recepção e limpeza. Dados levantados pela SMS mostram a existência de 96 pessoas em tratamento oncológico na cidade atualmente.

Aline Rabelo é filha de Conceição Aparecida Silva, paciente que iniciou a quimioterapia em outubro passado e foi a primeira a bater o sino da esperança após receber alta do tratamento. Ela, que acompanhou a mãe em boa parte das sessões conta “terem sido bem atendidas por toda equipe, destacando desde os profissionais da recepção, os médicos de todas as áreas, o carinho e atenção da Juliana, do Luiz Felipe, do Arnaldo e da Andréia, enfim, agradeço a todos. Nunca vimos um tratamento tão excepcional como o de lá, não só com minha mãe mas com todos os pacientes. Deu tudo certo graças a Deus e a eles. Torço para que, assim que possível, lá também possa oferecer a radioterapia, evitando a necessidade e o desgaste do deslocamento para outra cidade”, disse.

Fonte: Prefeitura de Itaúna

Leia mais:


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]