Belo Horizonte monitora cinco casos suspeitos de febre maculosa

Escrito por em 20/08/2021

Por Jornalismo Grupo Rádio Clube de Itaúna com informações de Jornal O Tempo

Nas mãos, dois atestados de óbito e a dor de uma família destroçada pela perda repentina. Em um intervalo de apenas dois dias, morreram Enzo Gabriel Lima da Silva, 4 anos, e a bisavó, Ana Josefa da Silva, 73, na última semana no bairro Tijuca, em Contagem, na região metropolitana – a área fica no limite com Belo Horizonte. E os dois casos voltaram a acender um alerta de uma temida doença: a febre maculosa, transmitida pelo carrapato estrela.

Diante da circulação da bactéria que provoca a doença na cidade vizinha, as ações de combate ao carrapato transmissor foram reforçadas na capital – até o momento, também seguem em investigação cinco casos de febre maculosa local pela Secretaria Municipal de Saúde.

Ao todo, já foram descartados 34 notificações e o último óbito em BH aconteceu no ano passado. E é justamente a região da bacia da Pampulha, que atravessa as duas cidades e onde vive a família do Enzo e da Ana Josefa, a que mais preocupa a pasta. “É uma área de transmissão, porque ainda têm acontecido casos humanos ali”, relatou o diretor de Zoonoses, Eduardo Viana. Do lado de Contagem, a prefeitura também confirma que a área endêmica.

Nessa região há grande concentração de capivaras, hospedeiras naturais do carrapato estrela.


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]